terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Como saber se meu filho ou minha filha é viciado(a) em jogos eletrônicos?


O vício em jogos eletrônicos é a priorização dos jogos pela pessoa em detrimento das demais atividades, gerando agressividade, brigas, tristeza e estresse.

***
Grande parte dos profissionais da saúde concorda que videogames podem provocar vício. O vício em videogames tem sintomas parecidos com os de vício em drogas. Para um viciado em jogos, o jogo se torna a principal atividade do dia. A criança ou adolescente viciado em jogos eletrônicos precisará de cada vez mais tempo jogando. Se uma criança ou o adolescente viciado em jogos eletrônicos for proibido de jogar, ele ou ela poderá se tornar agressivo, brigar com os pais, ou ficar muito triste e estressado. Em alguns casos, quem é viciado em jogos eletrônicos pode perder uma oportunidade de trabalho ou de educação por causa da participação em jogos. Entretanto, apenas jogar por muito tempo não significa que a criança ou o adolescente seja viciado em jogos eletrônicos. Para uma criança ou adolescente ser considerado viciado em videogame, ele precisa ter prejuízos no dia-a-dia pelo uso excessivo dos jogos. Além disso, o uso excessivo dos videogames precisa se repetir por, pelo menos, algumas semanas. O vício em jogos eletrônicos é muito presente em jogadores de um tipo de jogo chamado de Massively Multiplayer Online Role-Playing Game (MMORPG). O MMORPG permite que milhares de jogadores criem personagens online em um mundo virtual. Alguns exemplos de jogos MMORPG são Ragnarok, Tibia, League of Legends e World of Warcraft. As pesquisas indicam que vício em videogames tende a provocar depressão e diminuição das notas na escola. O vício em videogames também pode piorar a relação com os pais. Caso note algum comportamento preocupante com relação a videogames e Internet no seu filho ou filha, procure ajuda do pediatra ou de um psicólogo.

Referências: UpToDate [Internet]. Internet gaming disorder in children and adolescents. Informação atualizada em nov. 2017. Disponível em: https://www.uptodate.com/. Acesso em: 27 jan. 2018.

Autor do resumo: Gabriella Neves Cury
Revisores do resumo: Profa. Dra. Maria Cristiane Barbosa Galvão, Prof. Dr. Fabio Carmona

Você achou esta informação útil? Clique AQUI para dar a sua opinião!