sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

O que é depressão em crianças e adolescentes?


A depressão em crianças e adolescentes causa mudança de comportamento, como tristeza constante e muito sono, comprometendo a qualidade de vida.

***
A depressão em crianças e adolescentes tem aumentado consideravelmente em todo o mundo. É uma doença que interfere no dia a dia das pessoas, comprometendo a qualidade de vida, socialização e desempenho escolar, se não for tratada adequadamente. Os principais sinais e sintomas da depressão provocam mudanças de comportamento tais como: humor deprimido (tristeza que não passa); falta de interesse ou prazer em todas ou quase todas as atividades; perda ou ganho de peso sem estar de dieta; insônia ou sono excessivo; agitação ou lentidão para pensar e agir; cansaço ou perda de energia; sentimento de inutilidade ou de culpa; indecisão; dificuldade de concentração e pensamentos conflituosos. Todas estas manifestações podem acontecer com uma criança alguma vez na vida, mas quando esse conjunto de sinais e sintomas não melhora ao longo do tempo é possível que ela esteja com depressão. Nos adultos, é mais fácil fazer o diagnóstico porque eles mesmo se queixam ou pessoas próximas percebem alterações em suas atitudes. Já as crianças desconhecem que os sintomas que estão sentindo podem ser manifestações da depressão e os aceitam como fato natural. Elas podem ficar mais quietas e retraídas porque não sabem dar nomes às suas emoções, ou seja, dependem de um adulto para dar significado àquilo que muitas vezes chamam de tristeza, ansiedade ou angústia. Desta forma, é mais comum a criança queixar-se de problemas físicos, porque sabe explicar melhor. Alguns aspectos do comportamento da criança podem revelar que a depressão está instalada. Por exemplo, a criança costuma estar sempre em atividade, explorando o ambiente e querendo descobrir coisas novas. Mas, quando ela se sente insegura, fica mais recolhida e o desejo de exploração do ambiente desaparece. Por isso, é preciso estar atento quando uma criança começa a ficar quieta, parada, com muito medo de separar-se das pessoas que lhe servem de referência, como o pai, a mãe ou os avós. Nos últimos anos, tem ocorrido uma tendência de se acreditar que a depressão na criança surge de forma semelhante à depressão no adolescente e no adulto. Desta forma, a depressão em crianças pode ser diagnosticada pelos mesmos critérios utilizados para adultos. Após a elaboração de um diagnóstico, se o caso for leve, o tratamento pode ser conduzido somente com terapia com psicólogo e orientação aos pais. Em outros casos, o tratamento com medicamentos antidepressivos também é necessário. O médico prescreve o remédio na dose mais baixa possível até a criança ou adolescente comece a apresentar o comportamento esperado para a idade. Havendo esta melhora, a dose vai sendo reduzida lentamente até que o médico avalie que a criança consegue ficar bem sem ele.

Referências: Access Medicine [Internet]. Brent, D. A; Pan, L. Depressive disorders in childhood and adolescence. In: Michael H. Ebert et al. eds. Current diagnosis & treatment: psychiatry. 2ed. New York: McGraw-Hill, 2008. Disponível em: http://psbe.ufrn.br/. Acesso em: 30 set 2016.

Autor do resumo: Cristina Camargo Dalri
Revisores do resumo: Dr. Mateus Andrea Angelucci, Prof. Dr. Fabio Carmona,  Enfa. Dra. Iara Cristina da Silva Pedro, Profa. Dra. Maria Cristiane Barbosa Galvão

Você achou esta informação útil? Clique AQUI para dar a sua opinião!