quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Existe tratamento para microdeleção?



Não há um tratamento específico para microdeleção, mas algumas avaliações podem ser feitas para estabelecer um plano de cuidado individualizado.

***
Não existe um tratamento específico para microdeleções. O tratamento deve ser individualizado, e voltado às manifestações presentes em cada paciente. Para determinar a extensão da doença e as necessidades do paciente com uma microdeleção, as seguintes avaliações devem ser consideradas: exame oftalmológico, quando o paciente apresentar problemas na visão; avaliação cardíaca, quando apresentar características sugestivas de problema cardíaco; exames de imagem do cérebro, quando o paciente apresentar alterações no tamanho da cabeça ou sintomas neurológicos presentes; ultrassonografia dos rins; avaliação completa do desenvolvimento, que podem incluir avaliações para distúrbios do espectro autista, deficiência mental, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), e perda auditiva; consulta com neurologista, quando o paciente apresentar hipotonia, convulsões, tiques, ou tremores; avaliação psiquiátrica, quando o paciente apresentar evidência de doença mental; ou consulta com um médico geneticista. Assim, o tratamento pode incluir o tratamento oftalmológico, cardíaco e neurológico, além de terapia ocupacional e fisioterapia, conforme o caso. Programas de aprendizado especiais que atendam às necessidades do paciente podem ser indicados.

Referências: NATIONAL Library of Medicine. Genetics Home Reference. Microdeletion. Disponível em: https://ghr.nlm.nih.gov/condition/1q211-microdeletion. Acesso em: 01 de setembro de 2016.

Autor do resumo: Claudio Vinicius de Assis Rondado
Revisor do resumo: Prof. Dr. Fabio Carmona, Profa. Dra. Maria Cristiane Barbosa Galvão

Você achou esta informação útil? Clique AQUI para dar a sua opinião!