sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Existe relação entre a adolescência e o desinteresse pelo estudo?


Alterações físicas, sociais e mentais podem trazer dificuldades de adaptação para o adolescente e apresentar reflexos em seu rendimento escolar.

***
Adolescência é a fase que marca a transição entre a infância e a idade adulta. Caracteriza-se por alterações físicas, mentais e sociais, e representa para o indivíduo um processo de distanciamento dos comportamento típicos da infância e de aquisição de características e responsabilidades que o capacitam a assumir os deveres do adulto. O fim da infância ocorre quando o indivíduo entra na pré-puberdade, geralmente entre 10 e 13 anos de idade, seguida pela adolescência, que vai de 13 a aproximadamente 18 anos de idade. Na sociedade ocidental, no entanto, por razões educativas e culturais, o período da adolescência pode ser prolongado para permitir a continuação do desenvolvimento psicossocial antes que o indivíduo assuma o status de adulto. A passagem da infância para a idade adulta inclui as seguintes etapas: (1) a puberdade (transformação do corpo em adulto) e o crescimento físico; (2) desenvolvimento social, emocional e cognitivo (intelectual); (3) estabelecimento de uma identidade independente e separada da família; e (4) a preparação para uma carreira ou vocação profissional. Este é um período turbulento de amadurecimento e de mudanças rápidas. Inúmeras vezes, todas estas alterações físicas, sociais e mentais podem levar a uma dificuldade de adaptação grande para o adolescente, e apresentar reflexos em seu rendimento escolar. Para ter um bom desempenho escolar, adolescentes devem ter boa capacidade intelectual, hábito de estudar, concentração, motivação, interesse e foco emocional. O insucesso escolar na adolescência pode ter um uma série de fatores associados, dentre eles: capacidade intelectual limitada, dificuldades de aprendizagem, depressão ou outros problemas emocionais, problemas visuais ou auditivos, incapacidade de se concentrar, déficit de atenção ou hiperatividade, falta de motivação, e uso de drogas ou álcool. Cada uma dessas causas deve ser explorada. A avaliação, por um profissional de saúde, requer uma entrevista extensa e cuidadosa, exame físico detalhado, exames laboratoriais adequados, e testes educacionais e psicológicos padronizados. Pais de um adolescente com baixo desempenho escolar devem procurar um profissional de saúde para ajudá-los a explorar, entender e modificar as possíveis causas. Quanto ao tratamento, este deve ser individualizado para atender às necessidades específicas e promover os pontos fortes específicos do paciente. Para adolescentes com dificuldades de aprendizagem, cursos especiais de educação, professores dedicados, e atividades extracurriculares podem ser importantes. O aconselhamento psicológico ajuda os adolescentes a ganhar habilidades de enfrentamento, aumentar a auto-estima e desenvolver habilidades de socialização. Se o paciente tem hiperatividade ou déficit de atenção causando baixa capacidade de concentração, o uso de medicamentos estimulantes, como o metilfenidato, pode ser útil. Se o adolescente está deprimido ou se tem outros problemas psicológicos, a avaliação psicológica e psiquiátrica deve ser recomendada.

Referências: Access Medicine [Internet]. Richards, Molly J., et al. Adolescence. In: William W. Hay, Jr., et al. eds. Current diagnosis & treatment: pediatrics. 23ed. New York: McGraw-Hill; 2016. Disponível em: http://accessmedicine.mhmedical.com/content.aspx?bookid=1795&Sectionid=125736260. Acesso em: 14 de setembro 2016.

Autor do resumo: Cristina Camargo Dalri
Revisor do resumo: Prof. Dr. Fabio Carmona, Profa. Dra. Maria Cristiane Barbosa Galvão

Você achou esta informação útil? Clique AQUI para dar a sua opinião!