segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Como controlar o diabetes com ajuda da alimentação?

A dieta do diabético é parte fundamental do seu tratamento e baseia-se nos mesmos princípios básicos de uma alimentação saudável.

***
Considerando que a dieta do diabético é um dos fatores fundamentais para manter os níveis de glicose no sangue dentro de limites desejáveis, o planejamento alimentar deve ser individualizado e cuidadosamente elaborado. Para ser bem sucedida, a dieta deve ser orientada de acordo com o estilo de vida, a rotina de trabalho, os hábitos alimentares, o nível socioeconômico, o tipo de diabetes e os medicamentos em uso pelo paciente. A alimentação é parte fundamental do tratamento do diabetes. Baseia-se nos mesmos princípios básicos de uma alimentação saudável. A quantidade energética ingerida deve ser adequada à atividade física e ser fracionada em 5 a 6 refeições ou lanches diários. A ingestão diária deve conter de 50% a 60% de carboidratos. Para isso, os pacientes devem ser orientados a comer alimentos ricos em fibras, como frutas, verduras, legumes, feijões e cereais integrais. A alimentação diária deve conter, no máximo, 30% de gorduras, sendo não mais de um terço sob a forma de ácidos graxos saturados (presentes em carnes gordas, banha, manteiga, palma, cacau, laticínios, coco, etc); e não exceder a 300 mg/dia de colesterol. Alimentos que contêm sacarose (açúcar comum) devem ser evitados para prevenir aumentos da glicemia. Quando consumidos, o limite para a sacarose é de 20g a 30g por dia, de forma fracionada e substituindo outro carboidrato para evitar o aumento calórico. Recomenda-se não encorajar os pacientes a comer doces, mas auxiliá-los a, quando usar esses alimentos, fazê-lo de modo que não os prejudique. O uso moderado de adoçantes não-calóricos (ciclamato, sucralose, sacarina, aspartame, acesulfame, e estévia) é seguro quando consumidos em quantidades adequadas. Os alimentos dietéticos podem ser recomendados, mas, é preciso ficar atento a seu conteúdo calórico e de nutrientes. Alimentos chamados de "diet" não contêm sacarose, pois são destinados a indivíduos diabéticos, mas podem ter valor calórico elevado, por seu teor de gorduras ou outros componentes. Alimentos "light" são de valor calórico reduzido em relação aos alimentos convencionais, mas podem conter sacarose ou outro açúcar. Os refrigerantes e as gelatinas dietéticas têm valor calórico próximo de zero e podem ser consumidos com segurança. Por outro lado, chocolate, sorvete, alimentos com glúten (pão, macarrão, biscoitos), mesmo quando "diet", são muito calóricos e seu uso não deve ser encorajado.

Referências:
Access Medicine [Internet]. Marian Rewers; H. Peter Chase. Diabetes Mellitus. In: Hay, W.W. Jr.,et al. eds. Current diagnosis & treatment: pediatrics. 23ed. New York: McGraw-Hill; 2016. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/periodicos. Acesso em: 09 de setembro de 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 160 p.: il. (Cadernos de Atenção Básica, n. 36)

Autor do resumo: Cristina Camargo Dalri
Revisor do resumo: Prof. Dr. Fabio Carmona, Profa. Dra. Maria Cristiane Barbosa Galvão

Você achou esta informação útil? Clique AQUI para dar a sua opinião!