quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Qual é o tratamento para anemia aplástica?



O tratamento da anemia aplástica varia de acordo com a gravidade da doença, e pode incluir transfusões, antibióticos e transplante de medula óssea.

***
Para o tratamento adequado da anemia aplástica, é importante identificar se trata-se de uma aplasia congênita, ou seja, que a pessoa já nasceu com ela,  ou adquirida ao longo da vida. Se houver suspeita de possíveis agentes desencadeadores da doença, como uso de medicamentos ou exposição a agentes químicos ou físicos, estes devem ser retirados do tratamento do paciente logo que possível. O tratamento da anemia aplástica varia de acordo com a gravidade da doença e com a idade do paciente. Nos casos moderados, estão indicados somente tratamento de suporte, com transfusões de sangue e tratamento com antibióticos em casos de infecção. Se houver necessidade frequente de transfusão ou uso frequente de antibióticos, pode-se considerar a indicação de medicamentos imunossupressores, para permitir a recuperação da função da medula óssea residual do paciente. Já nos casos graves e muito graves, indica-se o transplante de células-tronco, sendo esta a melhor terapia para o paciente mais jovem e que tenha um irmão doador totalmente compatível, logo que o diagnóstico de anemia aplástica é estabelecido em uma criança ou adulto jovem.

Referência: Access Medicine [Internet]. Young, N.S. Bone marrow failure syndromes including aplastic anemia and myelodysplasia. In: Kasper, D. et al. eds. Harrison's principles of internal medicine, 19.ed. New York : McGraw-Hill, 2015. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/periodicos. Acesso em: 1 jul. 2016.

Autor do resumo: Cristina Camargo Dalri
Revisor do resumo: Prof. Dr. Fabio Carmona, Profa. Dra. Maria Cristiane Barbosa Galvão

Você achou esta informação útil? Clique AQUI para dar a sua opinião!