terça-feira, 5 de abril de 2016

Qual é o tratamento para a leucemia linfoblástica aguda (LLA)?



A maioria dos casos de leucemia linfoblástica aguda (LLA) pode ser curado com quimioterapia. Alguns casos podem ser curados com transplante de medula óssea.

***
A quimioterapia é a base do tratamento da leucemia linfoblástica aguda (LLA). Para iniciar o tratamento, é preciso determinar em que grupo de risco o paciente se encontra (padrão, baixo, alto ou muito alto) e a quimioterapia será feita de acordo com as características de cada paciente. A quimioterapia é feita em três etapas. A primeira etapa é chamada de indução e busca atingir a remissão completa da doença, ou seja, quando não existem mais sinais e sintomas. A duração desta fase do tratamento varia entre 4 a 6 semanas. Depois, é feita uma avaliação dos sinais e sintomas que a criança apresenta ou não após este tratamento inicial. Nesta fase, pode ser necessário dar doses mais altas dos remédios e/ou fazer transplante de medula óssea. A segunda etapa do tratamento recebe o nome de consolidação e dura, aproximadamente, 6 a 9 meses. A terceira etapa chama-se manutenção e a criança continua tomando remédios durante 2 a 3 anos, até que não possua mais nenhum sinal e sintoma da leucemia. A terapia direcionada ao sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal) pode ser necessária, e é feita durante a indução e pode continuar ou não na etapa de manutenção. São utilizados alguns remédios e/ou radiação (radioterapia) para prevenir que o câncer atinja as células do cérebro. Durante todas essas etapas, podem acontecer recaídas, que são o reaparecimento dos sinais e sintomas. O médico responsável pelo tratamento deve ser sempre consultado quando houver alguma dúvida em relação ao tratamento.

Referência: [Acess Medicine]. The MD Anderson Manual of Medical Oncology. 2011. Chapter 1: Acute lymphoblastic leukemia. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/periodicos. Acesso em 27 jan. 2016.
[Dynamed]. Acute lymphoblastic leukemia/lymphoma (ALL). Informação atualizada em dez. 2015. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/periodicos. Acesso em 27 jan. 2016.

Autor do resumo: Enfa. Dra. Iara Cristina da Silva Pedro
Revisor do resumo: Profa. Dra. Maria Cristiane Barbosa Galvão, Prof. Dr. Fabio Carmona


Você achou esta informação útil? Clique AQUI para dar a sua opinião!